Homepage
Cruzado
Perspectivas
Fazer uma doação
Acerca de Fátima
Notícias
Documentação
Terceiro Segredo
Consagração
Orações
Livraria
Mesa de trabalho do Padre
Apostolado
Informações
THE FATIMA NETWORK
ImageMap for Navigation Porquê Fátima? Mapa do site Contacto
Essencial: O Que Pode Fazer: A Crise do Nossa Tempo
A Crise do Nossa Tempo

O mundo está cada vez mais agitado por uma série de crises intensificadas que parecem estar além da capacidade de resolver ou de aliviar dos seres humanos. A evidência da tensão social e da decadência moral estão em todo lado à nossa volta. Particularmente a família, a fonte e o garante da civilização, está cercada e acossada por todos os lados, levada por uma maré crescente de aborto, divórcio, abuso de álcool e de droga e conflito entre as gerações. Quando olhamos à nossa volta, vimos um mundo ruindo rápidamente debaixo da violência, a corrupção e o pecado. Tanto nos "campos de morte" ensangrentados do Líbano ou da Bosnia como nas "ruas viles" de New York ou de Los Angeles, as vidas de milhões de pessoas normais continuam em perigo terrível (e em crescimento).

Dentro da comunidade Católica, há causas adicionais para a preocupação. Os nossos bancos de Igreja, confessórios, seminários e conventos cada vez mais vazios, são testemunho severo da crise contínua dentro da Santa Fé. Na grande maioria das nações civilizadas, a assistência nas missas diminuiu para menos de dez porcento (na alemanha, por exemplo, menos de cinco porcento dos católicos atendem a missa, e os números não são muito melhores na América do Norte). crisis7.jpg - 11.4 KDesde o fim do Segundo Conselho do Vaticano nos princípios da década de 1960, a Igreja tem visto baixar a sua influência e a sua autoridade a um nível que não se vê há mais de 1800 anos! Muitos teólogos e autoridades de Fátima agora acreditam que a crise dentro da fé Católica é o tópico do ainda não divulgado Terceiro Segredo de Fátima e que este contém a resposta do Céu à confusão e ao caos difundidos dentro da Igreja.

medida que chegamos ao novo milênio, o direito à vida, dado por Deus a todos os seres humanos, está sendo atacado violentamente em todos os lados. Desde a legalização do aborto nos Estadus Unidos, mais de 30.000.000 de crianças foram assassinadas nos ventres de suas mã es. Por todo o globo, esta "matança dos inocentes" continua a produzir um holocausto de morte sem paralelo na história humana. As tendências correntes a legalizar a eutanasia e estender o uso da chamada "morte de piedade" nos Estados Unidos, no Canadá e na Europa seguramente resultarão nas mortes de milhões adicionais de idosos, doentes ou outros seres humanos "indesejaveis".

Com certeza, alguns dos problemas terriveis que enfrenta o mundo podem (e devem) ser resolvidos dentro do círculo familiar e por homens e mulheres de boa vontade trabalhando dentro das suas esferas de influência. Contudo, muitos problemas continuam além do alcance do indivíduo normal. O governo, ao longe de fornecer soluções, é demasiadas vezes a fonte do problema. Do mesmo modo, a ciência e a indústria, antes aclamadas como as novas salvadoras da humanidade, têm produzido desarranjos sociais e dado à luz tecnologias que ameaçam as vidas e o bem-estar de milhões de homens, mulheres e crianças. Não é necessário ser "anti-ciência" para reconhecer que dilemas dificeis como a mudança de clima, a guerra nuclear e a poluição ameaçam toda a gente.

Enquanto que alguns dos problemas que encaramos hoje são o resultado de processos naturais ou históricos, está cada vez mais evidente que muitos outros são o produto calculado de forças opostas à fé Católica e conscientemente dedicadas à destruição dos valores e dos ideais mais prezados da nossa civilização. A origem do comunismo na primeira metade do Século XX engendrou a glorificação comum do materialismo e do ateísmo, establecendo uma nova "religião do homem" sem Deus e oposta a Ele. Falando em Fátima seis meses antes da Revolução Bolchevista, Nossa Senhora preveniu que se o homem não deixasse de ofender Deus, Ele usaria a Rússia como o seu instrumento escolhido para castigar o mundo. Declarou também que se os seus pedidos de Fátima (sobretudo a consagração da Rússia) não fossem atendidos, que a Rússia "espalharia o seus erros pelo mundo, promovendo guerras e …aniquilando várias nações."

E tal como prognosticou a Mã e de Deus, os "erros" da Rússia --o materialismo, o ateísmo militante, a tirania, o aborto, a eutanásia e o genocídio-- têm-se difundido através da face da terra, deixando montanhas de cadáveres como as "frutas" através das quais "as conhecereis" (Matias 7:16). Dúzias de nações e povos têm sido exterminados sem piedade no nome de filosofias e de partidos políticos derivados da mesma doutrina anti-Deus e anti-religiosa entesourada primeiro na Rússia bolchevista em 1917. Apesar da muito anunciada "morte do comunismo", os 40.000 cadáveres jazindo hoje em Chechnia demostram que os "erros" da Rússia continuam a extorquir uma taxa inexorável e sangrenta do povo do mundo.

Em Fátima, Nossa Senhora declarou: “So Eu lhes poderei valer”. Considerando a confusão, o caos e a violência que nos rodeiam em todos os lados hoje, as suas palavras parecem menos uma promessa profética e mais uma declaração de fato evidente e inegável.




Formatado para impressão
Volta

imagemap for navigation Página inicial Mapa do site Contacto Pesquida Início da página>
<AREA SHAPE=DEFAULT HREF=