Comunicação especial ã imprensa

25 de Junho de 2010

A verdade sobre o Terceiro Segredo
— na televisão italiana


Em Maio, fomos a Roma com O Desafio de Fátima — uma reunião dos estudiosos de Fátima, vindos de todo o mundo, para colocar todos os factos relativos a Fátima ã vista do público. Fátima passou a ser notícia.

Alcançámos um sucesso que ultrapassou as nossas esperanças mais optimistas. E o impacto de O Desafio de Fátima continua. A verdade está a ressoar cada vez mais alto. Agora também ressoa na televisão nacional italiana, que transmitiu recentemente um programa chamado: “Fátima: Um caso por encerrar.”

Agora já ninguém receia ser chamado excêntrico ou “Fatimista” por apontar as  contradições da posição “oficial” da burocracia do Vaticano sobre o Terceiro Segredo e a Mensagem de Fátima em geral.

Jornalistas bem considerados no Vaticano, como Andrea Tornielli, dizem agora o que nós há muito dizemos: Que há uma parte do Terceiro Segredo ainda por revelar. Tornielli disse-o no programa de televisão atrás mencionado, e que também incluía comentários do Padre Nicholas Gruner, que há 33 anos lidera o combate deste apostolado e que levou O Desafio de Fátima a Roma.

E Roma ouviu. O Papa ouviu. E agora, toda a Itália está a ouvir.

Na semana que se seguiu a O Desafio de Fátima, o Papa Bento XVI, a caminho de Portugal para o 93° aniversário da aparição de Nossa Senhora de 13 de Maio de 1917, concordou com o que tinha sido dito na conferência, e que este apostolado tem dito há muito anos: O Terceiro Segredo não é sobre o passado, mas sobre o que está a acontecer agora e o que ainda há-de vir.

“Quem pensar que a missão profética de Fátima acabou, está enganado.”

Essim falou o Santo Padre. E ao fazê-lo, o Papa não só deu razão aos “Fatimistas,” termo este que até agora era depreciativo, como também deu respeitabilidade nos principais meios de comunicação ã nossa posição.

Muitos Católicos e comentadores mediáticos na Itália já aceitam que não nos foi revelado o texto completo do Segredo. E citam as provas que temos apresentado ao longo dos anos nas nossas publicações, e em especial n'O derradeiro combate do demónio. Citam também as declarações recentes do Santo Padre em como os acontecimentos preditos no Terceiro Segredo se referem ao sofrimento da Igreja devido aos pecados dos seus próprios membros, sofrimento como o que temos visto recentemente na crise de abusos sexuais do clero. O Papa disse que as “realidades” previstas no Terceiro Segredo estão a “cumprir-se” e que são “terríveis.” Desta maneira, o Papa Bento XVI rejeitou como falsa a posição apresentada com uma insistência obstinada pelo seu Secretário de Estado, o Cardeal Tarcisio Bertone, segundo a qual Fátima pertence ao passado.

Agora, os meios de comunicação estão também a voltar-se contra Bertone. Em “Fátima: Um caso por encerrar,” Tornielli diz precisamente o que o Padre Gruner, Chris Ferrara e outros peritos de Fátima têm dito: que o Cardeal Bertone não exibiu o envelope que continha o texto oculto do Terceiro Segredo.

E como sabemos isto? Porque o Arcebispo Capovilla, antigo secretário do Papa João XXIII, que ainda é vivo, disse que escreveu no envelope, por ordem de João XXIII, os nomes das pessoas que leram o Segredo e a decisão do Papa de deixar que os seus sucessores se pronunciassem sobre o mesmo. O Cardeal Bertone mostrou na televisão italiana o que ele disse ser o envelope que continha o Terceiro Segredo “autêntico”, mas o envelope não tinha escrito senão a indicação da Irmã Lúcia de que não devia ser aberto antes de 1960, por ordem expressa de Nossa Senhora.

Quando perguntaram em O Desafio de Fátima a Giuseppe De Carli, colaborador e co-autor do Cardeal Bertone, como explicava esta discrepância, ele não conseguiu dar uma resposta satisfatória e tentou pôr de lado o problema, dizendo que Fátima “não é uma questão de envelopes.” Mas a verdade já está na rua, e através da televisão nacional italiana: Bertone não estava a ser franco. De facto, o Cardeal estava deliberadamente a enganar-nos, e sobre um assunto muito grave: as palavras de Nossa Senhora de Fátima.

Tornielli, como se estivesse a citar o que foi discutido em O Desafio de Fátima, cita a discrepância sobre o “envelope Capovilla” como prova de que há um texto que falta, um “apêndice” ã visão revelada pelo Vaticano em Junho de 2000.

Vai ainda mais longe, e insiste, como este apostolado sempre fez, em como o texto que falta deve ser uma continuação da frase “Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé etc.” Diz que Nossa Senhora não podia ter terminado a sua revelação ã Irmã Lúcia com um “etc.” e faz notar que A Mensagem de Fátima,  publicada pelo Vaticano em 2000, com a revelação da visão, evita abertamente referir-se a esta questão.

O Sr. Alessandro Banfi, co-director dos Canais Mediaset, uma importante rede italiana de televisão, também se pronunciou, dizendo que deve haver um texto oculto do Terceiro Segredo.

Como foi apontado pelo jornalista italiano Antonio Socci, autor de O Quarto Segredo de Fátima, o Papa está empenhado numa grande obra de “dizer a verdade” sobre o Terceiro Segredo. E agora tem aliados nos meios de comunicação, prontos a seguir a sua iniciativa.

À medida que o efeito de O Desafio de Fátima e das palavras do Papa continua a aumentar, mantê-lo-emos informado. Para já, queira juntar-se a nós num acto de agradecimento a Nossa Senhora, por abençoar os nossos esforços, e continue a rezar. O Seu Triunfo já deve estar muito próximo.