Homepage
Cruzada
Perspectivas
Sobre Fátima
Noticias
Recursos
Tercer Secreto
Consagración
Oración
Librería
Homepage
Apostolado
Para hacer un donativo
Más información
Nuestra señora de Fatima en línea
ImageMap for Navigation ¿Por qué Fátima? Mapa del sitio Contactar
Perspectivas Sobre Fátima

A Exortação revolucionária do Papa Francisco

por John Vennari
11 de Abril de 2016

O Papa Francisco publicou no dia 8 de Abril a sua muito antecipada Exortação pós-Sinodal sobre o Matrimónio e a Família, intitulada Amoris Laetitia (“A Alegria do Amor”).

O Cardeal Walter Kasper garantiu, no passado mês de Março, que o documento seria revolucionário. E, infelizmente, Kasper tinha razão.

Eu li integralmente a exortação de Francisco: mais de 240 páginas, mais de 58.000 palavras.

Entre grandes acumulações de verborreias, umas não tão más, outras extraordinariamente enfadonhas, Francisco trata de canonizar a ética situacional.

A secção-chave para a revolução aparece no fim, no Capítulo Oito.

Abre cuidadosamente a porta à Comunhão para os divorciados recasados numa base de ‘caso a caso’.

Os Progressistas já celebram a Exortação como sendo uma ‘mudança radical’.

Esta nova abordagem, inaceitável a qualquer Papa anterior em toda a História da Igreja, destrói efetivamente elementos-chave da Teologia Moral Católica.

Destes Sínodos tumultuosos emanou uma Exortação também tumultuosa.

Em 7 de Abril, o filósofo católico Antonio Livi, falando sobre o documento ao National Catholic Register, descreve Amoris Laetitia como um “texto ambíguo”. E continuava avisando contra a separação, existente no documento, entre a doutrina e a prática pastoral.

“Este é realmente o erro teológico do documento” – disse ele – “porque a prática pastoral não pode ser outra coisa senão uma prudente mas rigorosa aplicação da doutrina.”

Teremos mais a dizer sobre a Exortação Apostólica nos próximos dias.




amigable a su impresora
Pagina inicial

imagemap for navigation Página inicial Mapa del sitio Contactar Buscar