Padre Gabriel Amorth
-Requiescat In Pace!

Especial para o Site de Fátima
5 de Outubro de 2016

O Padre Gabriel Amorth, um bom amigo do Padre Gruner e do “The Fatima Center”, faleceu a 16 de Setembro de 2016. Ordenado Sacerdote em 1954, foi exorcista principal de Roma durante 36 anos. Diz-se que ele realizou aproximadamente 160.000 exorcismos. Foi autor de várias obras, onde se inclui Um Exorcista Conta a Sua História, o seu livro mais conhecido.

O Padre Amorth era um testemunho perene do facto de a Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, tal como fora pedida por Nossa Senhora de Fátima, estar ainda por realizar.

No seu número de Outubro de 2015, a revista pró-vida Faithful Insight publicou a entrevista do italiano Mauro Faverzani ao Padre Amorth. A breve entrevista abordava temas sobre a Mensagem de Fátima, a Consagração da Rússia e acontecimentos futuros.

As afirmações do Padre Amorth concordam com aquilo que ele já dissera ao Fatima Center em 2012.

Nesta entrevista de 2015 da Faithful Insight, o Padre Amorth afirmava: “A Consagração ainda não foi realizada. Estava eu ali na Praça de São Pedro no dia 25 de Março [1984], na primeira fila, a uma distância em que praticamente podia tocar no Santo Padre.  João Paulo II queria consagrar a Rússia, mas a sua comitiva não, por recear que os Ortodoxos se sentissem antagonizados.”

E o Padre Amorth continuou: “Por isso, quando Sua Santidade, de joelhos, consagrou o Mundo, acrescentou uma frase que não aparecia no texto, dizendo que estava a consagrar ‘especialmente aquelas nações das quais Vós pedistes Pessoalmente a Consagração.’ Assim, estava indiretamente a referir-se à Rússia. Contudo, está por fazer uma Consagração especifica. Pode sempre fazer-se. Com certeza se fará…”

Estas palavras do Padre Amorth são semelhantes ao que ele dissera em 2012 ao Fatima Center, perante as câmaras.

Numa alocução televisiva especial sobre o tema de Fátima, o Padre Amorth explicou: “Sim. Em 1984, na Praça de São Pedro, o Papa tentou consagrar a Rússia de um modo muito tímido. Foi no dia 25 de Março de 1984, e o Papa tinha junto de si a imagem de Nossa Senhora que fora levada de Fátima. É a imagem que normalmente fica no enorme recinto do Santuário, na Capelinha das Aparições, mas ele queria-a ali [em Roma] naquela ocasião. E o Papa, ajoelhando-se diante dela, tentou fazer a Consagração; mas em redor dele estavam políticos que lhe disseram:‘-Vossa Santidade não pode nomear a Rússia. Não pode!’ E ele perguntou-lhes outra vez: ‘-Posso nomeá-la?’ Mas eles responderam: ‘-Não! Não! Não!’”

A Consagração da Rússia está por realizar. A própria Irmã Lúcia o confirmou um ano depois desta tentativa de João Paulo II em 1984.

Numa entrevista do número de Setembro de 1985 da revista Sol de Fátima, perguntaram à Irmã Lúcia se o Papa cumprira com o pedido de Nossa Senhora ao consagrar o Mundo em 1984. A Irmã Lúcia respondeu: “-Não houve participação de todos os Bispos e também não mencionaram a Rússia.” Perguntaram-lhe depois: “Então a Consagração não se fez segundo o pedido de Nossa Senhora?” – ao que ela respondeu: “Não! Muitos Bispos não deram importância nenhuma a esse acto.”

O Padre Amorth, firme adepto da Mensagem de Fátima, recordou-nos que a Consagração será levada a cabo no futuro, e ele lamentava muito tal demora.

E declarou à Fatima TV: “Nosso Senhor apareceu à Irmã Lúcia e disse-lhe: “Farão a Consagração, mas será tarde.’ Sinto calafrios quando me lembro destas palavras ‘será tarde’, porque foi mesmo por nossa culpa que, em primeiro lugar, se deu a Segunda Grande Guerra.” Nossa Senhora tinha predito em 1917 que, se as Suas palavras não fossem atendidas, rebentaria uma guerra ainda mais terrível durante o reinado do Papa Pio XI (que ainda não era Papa à época das Suas Aparições em Fátima).

O Padre Amorth disse ainda: “O pior é que Nossa Senhora ordenou que o [Terceiro] Segredo fosse aberto em 1960… e infelizmente não o fizeram! Não revelaram o Segredo.”

À revista Faithful Insight, o Padre Amorth reiterou a promessa de Nossa Senhora de que “O Santo Padre Me consagrará a Rússia, que se converterá, e Deus concederá ao Mundo algum tempo de paz.”

Perguntaram-lhe então: ‘-Quando acha que ocorrerá esse grande acontecimento?’ Respondeu ele: “-É difícil dar pormenores sobre aquilo que não estamos a viver. Eu não sou um profeta!...”

E o Padre Amorth continuou, lamentando o ateísmo generalizado de hoje, e o facto de os homens colocarem a ciência num altar para lhe prestarem culto. “-Mas a ciência não cria” – advertiu ele – “apenas descobre. Virando as costas ao Senhor, aquilo que descobrem é aproveitado para fins desastrosos. Sem o Senhor, até o progresso é usado para o mal. Vemo-lo em leis que vão totalmente contra a natureza, tais como as do divórcio, do aborto, das uniões homossexuais… Nós esquecemo-nos de Deus! Por isso, Deus em breve admoestará a humanidade de um modo muito poderoso.”

Na entrevista, o Padre Amorth também reiterou a advertência da Jacinta de que “mais almas se condenam por causa dos pecados da carne do que por qualquer outra razão.”

E o Padre Amorth concluiu a entrevista com estas palavras: “-Devemos prestar atenção ao que diz Nossa Senhora!”

Pedimos-lhe, Leitor, que,na sua caridade, reze pela alma do Padre Gabriel Amorth!