Perspectivas sobre Fátima

A quadrilha do Sínodo prepara outro assalto à Igreja

Falso Sínodo III: Actualização
Perguntemos aos "jovens" o que é que Jesus quer!

por Christopher A. Ferrara
23 de Setembro de 2017


O Cardeal Lorenzo Baldisseri, (por alcunha "o Ladrão de Livros")

É claro que nunca houve a mais pequena dúvida de que o próximo Falso Sínodo, intitulado “Os Jovens, a Fé e o discernimento vocacional”, seria mais um ataque contra o ensino moral católico. O Falso Sínodo de 2018 seguir-se-á ao último Falso Sínodo, um espectáculo cuidadosamente montado que escondia uma intenção preconcebida de acomodar o divórcio e o “re-casamento” dentro da Igreja, e de derrubar, na prática, a proibição bimilenar da Igreja do acesso à Sagrada Comunhão por adúlteros públicos que vivem em “segundos casamentos.”

À frente do Falso Sínodo de 2018 estará o Cardeal Lorenzo Baldisseri (“o Ladrão de Livros”), cuja manipulação brutal da condução do “Sínodo sobre a Família” (inclusive o facto de ter confiscado o “Livro dos Cinco Cardeais” que defendia o ensino tradicional da Igreja sobre o casamento) deu origem à sua alcunha e desencadeou uma revolta aberta, chefiada pelo Cardeal Pell. (No entanto, o Papa Francisco obteve, afinal, o resultado que pretendia desde o princípio, ao publicar a Amoris Laetitia.)

Bastam duas frases apenas do documento preparatório para o Falso Sínodo de 2018 para nos avisar de que a Igreja está para sofrer mais um assalto:

“Tal como nos dias de Samuel (cf. 1 Sam. 3:1-21) e de Jeremias (cf. Jer. 1:4-10), os jovens sabem como discernir os sinais dos nossos tempos, indicados pelo Espírito. Ouvindo as suas aspirações, a Igreja pode entrever o mundo que está à nossa frente e os caminhos que a Igreja é chamada a seguir. (Introd.)”

Sim, é verdade, Baldisseri e a sua quadrilha vão “ouvir os jovens” a ensinar aos mais velhos o que a Igreja deveria fazer. Pelo menos este é o pretexto oficial. Mas, o que eles na verdade vão fazer é fingir que “ouvem os jovens” enquanto se preparam para executar o plano que sem dúvida já cozinharam sobre a próxima cedência do ensino católico.  E, como é evidente, não irão ouvir os jovens que em grande número convergem para as Missas Tradicionais em Latim e procuram a Fé autêntica dos seus antepassados. Esses jovens, declara Francisco, são “rígidos” e sofrem de alguma espécie de distúrbio emocional, de modo que se deve “cavar, cavar” para compreender o que é que esses jovens rígidos estão a “esconder.”

O Falso Sínodo de 2018 está a empregar o modus operandi prévio de um “questionário preparatório” online que é tendencioso, e respondido por qualquer Zé, Toni ou Manel que acesse a ele. Este falso questionário é utilizado para nos informar que os “jovens” querem mudanças na Igreja; grandes mudanças. Veja-se o que noticia o site espanhol ‘Religión Digital’:

“Muitos dos jovens fiéis ainda vêem a Igreja como um ‘lugar de proibições.’ Esta é uma das conclusões duma aferição prévia das respostas ao questionário preparatório para o Sínodo de Bispos de 2018 sobre ‘Os Jovens, a Fé e o discernimento vocacional’, de acordo com o seu Secretário Geral, Cardeal Lorenzo Baldisseri.”

Baldisseri é citado do seguinte modo: “Nós precisamos de olhar para os jovens não só para eles nos ajudarem a saber proclamar o Evangelho, mas também para termos uma melhor compreensão daquilo que Jesus exige da Sua Igreja, daquilo que Ele espera dela, e o que deve ser excisado [extirpado, removido] para uma tal missão.”

Assim sendo — segundo afirma “o Ladrão de Livros”— os “jovens” anónimos (alguma vez saberemos que idade terão eles?) que completaram um questionário online não gostam de todas essas “proibições” na Igreja, e estão a dizer-nos aquilo que Jesus quer que se faça — especialmente aquilo de que “Ele” quer que a Igreja se livre.

Cá vamos nós outra vez, ao mesmo tempo que a apostasia na Igreja atinge o seu cúmulo num derradeiro combate com o Demónio sobre o casamento e a família, tal como a Irmã Lúcia avisou o falecido Cardeal Caffarra que seria, à luz do Terceiro Segredo de Fátima.

Não obstante, há esperança neste evoluir dos acontecimentos: neste preciso momento da História da Igreja, o Demónio está a abandonar as subtilezas, provocando assim uma reacção cada vez maior entre os Fiéis que vêem a fraude sinodal em curso como ela realmente é.

E a Virgem Santíssima — recorda-nos a Irmã Lúcia — já esmagou a cabeça da serpente. Todos os acontecimentos vão-se alinhando com vista ao Triunfo final do Imaculado Coração de Maria, que se seguirá à Consagração da Rússia, embora possa vir a concretizar-se no meio de acontecimentos muito dramáticos, tanto para a Igreja como para toda a Humanidade.