Perspectivas sobre Fátima

Francisco Põe Todo o Aparelho Vaticano
Quanto ao Casamento e à Família
Sob o Controle de Dois Prelados Subversivos a Ambos

por Christopher A. Ferrara
18 de Agosto de 2016

Hoje (dia 17 de Agosto) o Vaticano anunciou que Francisco, motu proprio (por sua própria iniciativa), que erigiu formalmente o novo “super-dicastério” do Conselho Pontifício para os Leigos, a Família e a Vida (CPLFV), em vigor a partir do dia 1 de Setembro próximo. O novo dicastério absorverá (e assim abolirá) dois Conselhos Pontifícios – para a Família e para os Leigos – e também se sobreporá às funções da ainda existente Academia Pontifícia para a Vida, a que pertence o filósofo alemão Josef Siefert, que publicou uma crítica devastadora à desastrosa Amoris Laetitia, apelando a Francisco para que corrija os erros contra a Fé que essa Encíclica contém.

Para líder do CPLFV, Francisco nomeou precisamente D. Kevin Joseph Farrel, do Texas, um prelado “pro-gay” largamente denunciado por ter instalado como pároco de uma freguesia do Texas um padre homossexual que participava numa página da internet explicitamente “gay” para clérigos e religiosos homossexuais. (O padre só foi retirado depois de um clamoroso protesto público contra essa nomeação.)

Farrel aceita claramente como norma que haja padres homossexuais no ministério pastoral. Citando comentários feitos por Francisco quanto ao “respeito” a ter para com as “pessoas homossexuais”, Farrel declarou aqui que “A Igreja ainda tem a expectativa de que os sacerdotes se devem comprometer a uma vida de castidade como celibatários, quer sejam homossexuais quer heterossexuais.” Ainda? A expectativa? Quer sejam homossexuais quer heterossexuais?

Assim se acaba com o ensino e a prática constantes da Igreja, afirmados por Bento XVI, de que homens que a si próprios se considerem “gays” não podem ser admitidos nos seminários, porque a sua condição intrinsecamente desordenada os torna indignos para o Sacerdócio, que é configurado com a Pessoa de Cristo, o Homem por excelência.

Quanto à ainda existente Academia Pontifícia para a Vida, foi entregue ao Arcebispo “pro-gay” Vincenzio Paglia que substitui na Presidência o Bispo espanhol Ignacio Carrasco de Paula. Paglia também tomará a seu cargo o Instituto João Paulo II para os Estudos sobre o Casamento e a Família, substituindo como principal Chanceler o Cardeal Agostino Vallini, Vigário Geral de Roma. Vallini denunciou a distribuição de preservativos nas escolas públicas italianas como “uma iniciativa [que] só pode ser combatida pela Igreja de Roma e pelas famílias cristãs, seriamente afetadas pela educação dos seus filhos.”

Paglia elogiou infamemente a série televisiva de propaganda “gay” que se chama “Família Moderna” e foi ele que “foi também o responsável por se convidarem pares homossexuais, no ano passado, para o Encontro Mundial de Famílias. Em defesa desse convite, Paglia declarou: “Estamos a seguir à letra o Instrumentum Laboris do Sínodo. Todos são convidados e ninguém é excluído.

Não é de admirar que este Paglia também apoie a causa favorita de Francisco: a de encontrar uma maneira de admitir à Sagrada Comunhão adúlteros públicos em “segundos casamentos”, tendo publicado, inclusive, entre as sessões do risivelmente chamado “Sínodo sobre a Família”, um livro a promover o derrubamento do ensino e da disciplina contrários da Igreja, em prol da indissolubilidade do Matrimónio, tal como afirmara João Paulo II, especialmente em Familiaris consortio. Com efeito, como noticiou Edward Pentin, houve membros do Instituto João Paulo II, conhecidos pela defesa do ensino deste Pontífice a tal respeito, que foram sistematicamente excluídos de qualquer participação nas duas sessões do Sínodo.

Com a criação deste novo “super-dicastério” e com estas duas nomeações, Francisco põe efetivamente todo o aparelho vaticano quanto ao Casamento e à Família sob o controle de dois Prelados que são manifestamente subversivos a ambos.

A cada dia que passa, Francisco confirma ainda mais a advertência calamitosa da Irmã Lúcia de Fátima de que “a batalha final entre o Senhor e o reino de Satanás será sobre o Casamento e a Família… Qualquer pessoa que trabalhe em prol da santidade do Casamento e da Família será sempre combatida e contrariada em todos os sentidos, porque esta é a questão decisiva.” -Mas quem teria pensado que a oposição seria auxiliada e instigada pela própria pessoa que ocupa a Cátedra de São Pedro?