O Terceiro de Fátima... Revelado!

Pelo Irmão Miguel da Santa Trindade

Primeira parte

Visto que o Terceiro Segredo de Fátima ainda não foi revelado oficialmente, parece óbvio à primeira vista que nada podemos saber de seu conteúdo. Isto, contudo, não passa da aparência. Porque se é verdade que este segredo permaneceu absolutamente impenetrável em 1917 quando foi revelado por a Santa Virgem aos três pastorinhos de Aljustrel, ou em 1944 quando foi escrito por a Irmã Lucia, ou ainda em 1960 na altura em que estava para ser revelado publicamente ao mundo por o Papa João XXIII, hoje já não é assim. De fato, há mais de quarenta anos, têm sido revelados vários fatos evidentes sobre ele.

Formam hoje uma massa impressionante de informação segura com a qual o historiador pode retraçar precisamente a sua história inteira e expor o seu conteúdo essencial com um grau considerável de certidão. Tal tem sido a minha preocupação dupla no escrever do meu terceiro volume de Touto la "A Verdade Inteira Sobre Fátima", que está completamente dedicada ao mistério do Terceiro Segredo.

É esta demonstração minuciosamente detalhada que lhe tentarei apresentar, simplificando e resumindo grande parte de ela, porque devo ser conciso. Mas contarei o suficiente sobre ela, espero, para lhe demonstrar como é importante este segredo final de Nossa Senhora. Como está no verdadeiro coração da Mensagem de Fátima, e finalmente, o motivo pelo qual é urgente para o bem da Igreja que seja revelado ao mundo de acordo com a ordem da Sagrada Virgem.

I. O DRAMA DO TERCEIRO SEGREDO

Foi em Julho ou Agosto de 1941, no seu terceiro ensaio, que a Irmã Lucia mencionou por primeira vez a divisão do segredo de Fátima em três partes distintas.

"O segredo está composto de três assuntos distintos," escreve ela, "e eu divulgarei dois deles." O primeiro é a visão do inferno e a designação do Coração Imaculado de Maria como o remédio supremo para a salvação das almas. “Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração.” O segundo é a profecia formidável que diz respeito à paz milagrosa que Deus deseja outorgar ao mundo através da consagração da Rússia ao Coração Imaculado de Maria, e da práctica de Comunhões de Reparação no primeiro sábado de cada mês.1 “Se atenderem a Meus pedidos, a Rússia se converterá, e terão paz”. E existe também o anúncio de castigos terríveis se as pessoas persistem em não obedecer aos seus pedidos. Enquanto à terceira parte do segredo, em 1941, a Irmã Lucia declarou que por então não estava autorizada para a revelar.

A escritura e a transmissão do segredo

O relato dramático da escritura e da trasmissão desta mensagem vital começa em 1943. A hora da providência tinha chegado. A Irmã Lucia vivia nessa época no Convento das Irmã s Dorotianas de Tuy, em Espanha. Em Julho de 1943 adoeceu súbita e gravemente. A sua condição era tão alarmante que o Bispo da Silva, o Bispo de Leiria em Fátima, ficou preocupado. Temeu que ela falecesse antes de revelar o terceiro segredo de Nossa Senhora e sentiu que a sua morte seria a perda de uma benevolência excepcional para a Igreja. O Cônego Galamba, amigo e conselheiro do bispo, então sugeriu uma ideia extremamente judiciosa, que ao mínimo pedisse à Irmã Lucia que escrevesse, sem demora, o texto do terceiro segredo e que então o colocasse num envelope selado com cera, para ser aberto mais tarde.

A 15 de Setembro de 1943, o Bispo da Silva foi, então, a Tuy e pediu à Irmã Lucia que escrevesse o segredo "se realmente quisesse". Mas a vidente, sem dúvida debaixo do impulso do Espírito Santo, não se contentou com esta ordem vaga. Requeriu do seu bispo uma ordem escrita, formal e perfeitamente clara--isto é de grande importância. A mensagem final da Virgem de Fátima está, como estavam previamente os seus outros pedidos, ligada a promessas maravilhosas. É um encanto excepcional oferecido por Deus ao nosso Século XX para atender às nossas urgentíssimas necessidades. Mais uma vez, é necessário que os pastores da Igreja tenham fé e docilidade suficiente com os intentos do Céu para poder ser instrumentos desta efusão de benevolência que Deus deseja entregar ao mundo através da doce mediação de Sua Imaculada Mã e. Em 1943, Deus desejou que o instrumento fosse o Bispo de Leiria, que demandou que esta mensageira escrevesse o terceiro segredo.

Finalmente, a meados de Outubro de 1943, o Bispo da Silva tomou a decisão. Escreveu à Irmã Lucia, fornecendo a ordem expressa que ela lhe tinha pedido. Porém, surgiriam novas dificuldades. A Irmã Lucia sofreu nessa época, por quase três meses, uma angústia misteriosa e terrível. Tem contado que cada vez que se sentava à sua mesa de trabalho e pegava na sua caneta para escrever o segredo, se encontrava obstruida de o fazer. Devemos, sem dúvida, ver aí a última irrupção de Satanás contra a mensageira da Imaculada.

Adivinhando que arma mais terrível esta profecia podia ser contra seu dominio sobre almas e seu plano de penetrar o mesmo no coração da Igreja, com tal prova sofrendo a vidente por tanto indicou a magnitude do acontecimento grandioso o qual que foi quase realizado, se o Segredo fosse escrito em papel.

Na noite da véspera de Natal, a Irmã Lucia disse em segredo à sua diretora que ainda não tinha conseguido obedecer à ordem que lhe tinham dado.

Finalmente, a 2 de Janeiro de 1944, (fato pouco conhecido) a Santa Virgem Maria apareceu outra vez a Lucia. Confirmou que tal era a verdadeira vontade de Deus e lhe deu a luz e a força para conseguir a escritura que lhe tinha sido mandada.

O cuidado extremo que a Irmã Lucia então tomou em a transmitir com segurança total ao seu recipiente, o Bispo da Silva, é nova prova da importância excepcional que ela atribui a este documento.

Não o quiz confiar a ninguém, a não ser um bispo. Foi o Bispo Ferreira, Arcebispo de Gurza, que recebeu das mã os da Irmã Lucia o envelope selado com cera e contendo o documento precioso. Foi nessa mesma noite que o entregou ao Bispo da Silva.

A respeito da transmissão do segredo à hierarquia, é necessário realçar quatro fatos de altíssima importância:

Fato no 1. O recipiente imediato do segredo foi o Bispo da Silva e ele o pode ter lido imediatamente. A Irmã Lucia assim lhe disse, da Virgem Maria. Mas assustado pela a responsabilidade que teria que assumir, não se atreveu, nem quiz ter conhecimento dele. Foi então que o tentou someter ao Santo Ofício, mas Roma não o quiz receber. Houve um acordo que se o Bispo da Silva por acaso morresse, o envelope seria confiado ao Cardeal Cerejeira, Patriarca de Lisboa. É portanto falso dizer, como se tem repetido tantas vezes desde 1960, que o terceiro segredo está destinado explicita e exclusivamente ao Santo Padre!

Fato no 2. É verdade, contudo, --eu forneço várias provas no meu livro-- que a Irmã Lucia queria que o Papa Pio XII soubesse o segredo sem mais atraso. Desgraçadamente não aconteceu assim.

Fato no 3. Determinando que o Bispo da Silva persistia em não desejar abrir o envelope, a Irmã Lucia o "fez prometer," nas palavras do Cônego Galamba, "que o terceiro segredo seria aberto e lido ao mundo, ou após a sua morte ou em 1960, o que acontecesse primeiro." Uma série de testemunhos que nos dão um relato das declarações repetidas da Irmã Lucia permitiram que este fato fôsse establecido com certidão absoluta.

Fato no 4. Finalmente, esta promessa de divulgar o segredo imediatamente após a morte da Irmã Lucia ou, em todo caso, "o mais tardar em 1960," seguramente corresponde a um pedido da própria Virgem Maria. De fato, quando, em 1946, o Cônego Barthas preguntou à vidente por que seria necessário esperar até 1960, a Irmã Lucia respondeu na presença do Bispo da Silva: "porque a Santa Virgem assim quer."

Em poucas palavras, estableci solidamente no meu livro, e temos todas as provas, que Deus desejava, por sua vontade, que o segredo final de Nossa Senhora fosse acreditado por os pastores da Igreja e feito público aos crentes. Isto era para ser feito ou tão cedo como 1944 ou tão tarde como 1960, porque como explicou em mais detalhe a Irmã Lucia, "Viria a ser mais claro nessa altura."2

Continuar a ler
O Segredo
Fátima Revelado