O Terceiro de Fátima... Revelado!

Terceira parte

II. O TERCEIRO SEGREDO DESCUBERTO!

O Cardeal Ottaviani contou que o Papa João XXIII colocou o segredo "num desses arquivos que são como um poço fundo e escuro, até ao fundo dos quais os papéis caiem e já ninguém os consegue ver mais." Sabemos muito bem o que aconteceu ao manuscrito da Irmã Lúcia. Até se pode descubrir o seu conteúdo essencial. Que diz Nossa Senhora neste aviso que deu para beneficio da nossa época a 13 de Julho de 1917? Para começar, podemos establecer quatro fatos seguros e objetivos a respeito deste segredo que nos vão permitir avançar a passos largos na revelação do mistério.

1. Um fato fundamental: Conhecemos o contexto do Terceiro Segredo. Falando devidamente, há efetivamente só um Segredo, revelado completamente a 13 de Julho de 1917. Agora, de esta entidade composta, conhecemos neste momento três das quatro partes. Conhecemos o princípio, as duas primeiras partes do segredo, e o fim, que com certeza consiste na conclusã o: "Por fim," promete Nossa Senhora, "o Meu Coração Imaculado triunfará. O Santo Padre consagrará a Rússia a Mim, esta será convertida e será concedido ao mundo algum tempo de paz." É neste contexto já conhecido, após o "etc." no texto que a própria Irmã Lúcia escreveu sobre a segunda parte do segredo, que está por casualidade intercalado o Terceiro Segredo. Este é o primeiro fato, que para nós é um marcador importante em permitir-nos proceder no descubrimento do conteúdo do Terceiro Segredo. Este deve corresponder ao contexto imediato e concordar harmoniosamente com a totalidade da Mensagem de Fátima, cuja coerência é, demais, completamente digna de nota.

2. Um segundo fato importante: Se as circunstancias em que foi revelado nos provam a sua unidade fundamental, as circunstâncias dramáticas em que foi escrito desvendam por sua vez o seu perigo trágico.

3. Um terceiro fato iluminante: É apenas por causa do seu conteúdo e por estas razões que desde 1960 que os Papas sucessivos se têm recusado a revelá-lo.

Primeiro, o Papa João XXIII assim fez, como vimos, apesar do entusiasmo e da expetação desejosa de todo o mundo católico.

Paulo VI adotou imediatamente a mesma atitude. Elegido a 21 de Junho de 1963, algum tempo depois pediu o texto do segredo. Isto prova o seu interesse animado pelo assunto. Como ninguém sabia o que tinha feito o Papa João XXIII com ele, perguntaram ao seu secretário, o Monsenhor Capovilla, que indicou o sítio onde tinha sido colocado o manuscrito. O Papa Paulo VI seguramente o leu nesse momento mas não falou sobre ele. Sabemos, contudo, que a 11 de Fevereiro de 1967, à medida que se aproximava o 50 aniversário das aparições de Fátima, o Cardeal Ottaviani, fez uma larga declaração em nome do Papa, sobre a matéria do Terceiro Segredo de Fátima, para explicar que ainda não seria revelado. No meu livro, cito e analizo este texto. Seguindo os peritos em português, vejo-me obrigado a testemunhar que para poder justificar a qualquer preço o encubrimento do segredo, o Prefeito do Santo Ofício, fiador supremo da verdade na Igreja, é obrigado a acumular um monte de incoerências e mentiras patentes.8 E infelizmente, veremos que as razões avançadas em 1984 por o seu sucessor, o Cardeal Ratzinger, não são nada mais consistentes.

O Papa João Paulo I era muito devoto a Nossa Senhora de Fátima; foi de peregrinação à Cova da Iria em 1977, e o que é muito curioso é que a própia Irmã Lúcia pediu para o conhecer. O Cardeal Luciani foi, portanto, ao Convento em Coimbra e conversou a fundo com a vidente. Estou em posição para verificar que a Irmã Lúcia falou com ele sobre o terceiro segredo e lhe revelou o seu conteúdo essencial. Ele ficou muito impressionado. Informou a sua companhia, no momento em que voltou à Itália, como tinha sido comovido e como a mensagem era séria. Então falou e escreveu sobre Fátima em termos rigorosos e expressou a sua admiracão e a sua confiança total na Irmã Lúcia, que ele obviamente considerava uma santa. (Darei no meu quarto volume todas as provas destes fatos não publicados.) Depois de vir a ser Papa, desejava sem dúvida preparar a opinião pública antes de tomar ação. Infelizmente, foi trágicamente levado deste mundo antes de poder dizer alguma coisa.

O Papa João Paulo II, antes de ir de peregrinação a Fátima a 13 de Maio de 1982, pediu a ajuda de um tradutor português do clero para lhe traduzir certas expressões do segredo que são peculiares da língua portuguesa. Portanto, ele também leu o terceiro segredo mas optou não o fazer público.

Finalmente, sabemos que o Cardeal Ratzinger também o leu porque disse ao jornalista italiano Vittorio Messori que o tinha lido. O Cardeal Ratzinger até já escreveu sobre ele em duas ocasiões, em Novembro de 1984 e em Junho de 1985, aludindo ao seu conteúdo em termos muito diferentes, o que para nós é significante. No meu livro, publiquei e comentei sobre a sinopse destas duas consecutivas versões publicadas.9

4. O quarto fato principal: a profecia do terceiro segredo tem-se estado desdobrando presentemente, diante os nossos olhos, desde 1960. Existe, de fato, um horário, uma crônica da realização das profecias de Fátima.

Por um lado, é de fato certo que não chegamos ainda à hora anunciada para a conclusão do segredo. Por que? Porque a Rússia ainda não foi consagrada ao Coração Imaculado de Maria, como deveria de ser, como um dia será. A Irmã Lúcia fez saber isto claramente mesmo depois do ato de 25 de Março de 1984.10 A Rússia ainda não está convertida e o mundo não está em paz, longe disso! Portanto, não estamos no fim da profecia.

Por outro lado, os acontecimentos anunciados no terceiro segredo não afetam o nosso futuro, porque temos outro marco para nos guiar: 1960. A Virgem tinha pedido que o segredo fosse revelado em 1960 porque Lúcia disse ao Cardeal Ottaviani, "em 1960, a mensagem será mais clara." Bem, a única razão que pode aclarar uma profecia a partir de uma data particular é o princípio do seu desempenho. E temos outras declarações de Lúcia dizendo que "os castigos preditos por Nossa Senhora no terceiro segredo já começaram."

O terminus a quo (principio) e o terminus ad quem (fim) da profecia assim determinados, podemos ter a certeza de que estamos presentemente no periodo de que Ela fala. Portanto, estamos vivendo o terceiro segredo. Estamos presenciando os acontecimentos que anuncia.

Segredos falsos e hipóteses falsas

Baseando-nos nestes fatos de confiança, podemos rejeitar uma série inteira de segredos que têm sido pubicados sucessivamente nos últimos 25 anos. Cito todos eles na minha obra e demonstro que, por exemplo, o mais famoso deles, o "segredo" circulado em 1963 pela a revista alemã "Neues Europa", e que tem sido impimido incessantemente em revistas inumeráveis, é uma fraude. Há no texto vários erros monstruosos que provam isto suficientemente. Demais, embora nos digam que se trata de simples "extratos" do verdadeiro segredo, estes "extratos" já têm pelo menos quatro vezes o tamanho necessário para caber dentro da folha de papel na qual a Irmã Lúcia escreveu a totalidade do terceiro segredo.11

Pode-se repudiar também um número de hipóteses falsas. Certamente, não se trata de um simples "convite de oração e penitência," como se atreve a afirmar o Padre Caprile!12 A Virgem Maria não teria pedido a Lúcia que esperasse até 1944 ou 1960 para divulgar a mensagem que repetiria palavra por palavra a Sua mensagem pública de 13 de Outubro de 1917!

[Nota do tradutor: nem explicaria a dificuldade extrema que sofreu a Irmã Lúcia de Outubro de 1943 a Janeiro de 1944, em escrever as 25 linhas do segredo. Se fosse apenas um apelo à penitência, não haveria tal dificuldade.]

Tão pouco é uma questão de felicidade: o Terceiro Segredo de Fátima com certeza não concorda com o ponto de vista do Papa João XXIII, proclamando que o côncílio seria "um novo Pentecostes," "uma nova primavera para a Igreja!" Se fosse esse o caso, ele ou um de seus sucessedores já o teria revelado. "Se fosse agradável, disse o Cardeal Cerejeira com justificação, assim teriamos sido informados. Como não nos disseram nada, a verdade é que é triste." Sim, obviamente é grave e trágico.

Nem tão pouco é o anúncio do fim do mundo, uma vez que a profecia de Fátima termina com uma promessa maravilhosa e incondicional, que deveria de ser pregada em estação e fora de estação, porque é uma fonte de esperança inabalável: Por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.

Seria o anúncio de uma terceira guerra mundial? De uma guerra nuclear? Seria sensato pensar que sim, não faria senão confirmar as análises políticas mais lúcidas. A Virgem Maria não teria predito esta terrível terceira guerra, que nos ameaça tão tragicamente?

Junto com o Padre Alonso, penso que isto sem dúvida não é o essencial do terceiro segredo. E digo-o para uma razão sólida: A saber, esta profecia de castigos materiais, de novas guerras e de persequições contra a Igreja, constitui o conteúdo específico do segundo segredo. Ainda havemos reflexionado sobre a importancia terrível de estas palavras simples: “Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas”? A Santissima Virgem nos disse, a Irmã Lúcia confiou ao Padre Fuentes, “que muitas nações desaparecerão da face da terra, que a Rússia será o instrumento de castigo elegedo pelo Céu a castigar o mundo inteiro (por seus crimes) senão obtermos a conversão desta pobre nação.13

É por isso que se deve temer que a palavra "aniquilada" deve ser tomada literalmente, no seu sentido mais óbvio; aniquilada, completamente destruidas. Improvável em 1917, esta ameaça trágica já não é forçada para nós hoje na idade nuclear.

Portanto torna-se claro: todos os castigos materiais que ainda nos ameaçam, mesmo os mais horríveis, como a guerra nuclear ou a expansão do comunismo por todo o planeta, já estão prognosticados por Nossa Senhora no segundo segredo, e conhecemos também os meios sobrenatural de os evitar antes que seja demasiado tarde.14 Podemos estar seguros, de acordo com o Padre Alonso, que nada sobre estes castigos está repetido na terceira parte do segredo. Ou pelo menos, acrescentaria eu, se faz alguma alusão a eles (o que é bem possível), esta não será a mensagem essencial do terceiro segredo. Efetivamente, já que o segredo está composto de três partes iterrelacionadas mas distintas, cujas datas para ser reveladas, marcadas pelo Céu, não são idênticas, podemos ter a certeza de que a terceira parte do segredo não vai repetir a mesma coisa que a segunda numas poucas linhas de espaço.

Continuar a ler
O Terceiro Segredo Revelado!